domingo, 6 de março de 2011

Pretensões e Pretextos.

      Escrever é uma tarefa complicada, porque exige da gente conhecimentos que nem sempre os temos suficientes para fazê-lo. É, porque escrever significa ser lido. A minha geração, cresceu ouvindo dos pais que o que é escrito fica - ¨cuidado portanto¨. Mas eram outras épocas e outros escritos. Hoje é dificil um tema que empolgue  muitas pessoas, justamente porque são tantos e estão a um clique apenas.
      Acontece que a vontade de saber, a curiosidade, nos levam a buscar cada vez uma quantidade maior de informações sobre o assunto do nosso interesse , e essas informações são tantas e tão próximas , que vão se acumulando até chegar o momento em que sentimos a necessidade de organizar tudo o que lemos, escrevemos , vimos, ou nos foi dito e assimilamos e só podemos conseguir se começarmos a sistematizar.  Começam a se amontoar as anotações, seja em agendas, margens de livros, ¨post it¨ e nos confundimos, e no meu caso especialmente, não conseguimos encontrar, e ainda no meu caso chegamos a perder horas de sono tentando lembrar, ¨onde pelo amor de Deus, eu coloquei aquele cartãozinho do chaveiro, que eu recebi naquela loja de sapatos, e usei para anotar aquela informação vital (todas as informações são vitais para quem as coleciona) e que agora eu preciso tanto¨? Este é o momento... É aí que escrever se faz necessário. É o que eu quero fazer.
      Há muitos anos, eu me interesso pela história de B.H. Ela é de fato uma cidade jovem, mas me preocupo com alguns detalhes sobre ela que possam passar despercebidos por outros curiosos apaixonados como eu. Não porque eles sejam inéditos, quem sou eu para tanto, mas talvez por eles serem tão pequenos, não insignificantes, que não possam ser deixados de lado ou esquecidaos, simplesmente.

2 Comentários:

Às 6 de março de 2011 16:47 , Blogger Christiano disse...

Mamãe, ler é ser lido, mas no seu caso, ler é também "ter" lido. Espero que o exercício desse novo canal seja a oportunidade para você dividir toda a sua bagagem de leituras que passam pela história, economia, antropologia e algumas curiosidades do mundo, certamente. Quem sabe nâo é este o começo do seu primeiro livro. Vou acompanhar torcendo... te amo. Chris!

 
Às 17 de março de 2011 19:14 , Blogger Gustavo disse...

Heloá,
nós, interioranos,vamos seguindo de longe seus escritos.Suas netas que já estão "saidinhas" em computação e internet, perguntam o que a vovó escreveu.
Aguardamos com ansiedade seus próximos posts, aproveitando deles para imaginar como seriam os bolinhos de fim de tarde na casa da vovó, afinal de contas em tempos de net, não existe distância
mil beijos
Gustavo

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial